Pages

sábado, 18 de outubro de 2014

Resenha : O pentagrama - Gustavo Mendes


sinopse:


Sarah é uma adolescente normal, certa de algumas coisas e indecisa quanto a outras; às vezes um tanto solitária e apaixonada pelo garoto com quem estuda há anos, Alex. Ele nunca lhe deu a atenção com a qual tanto sonha. Quando por impulso defende-o numa discussão, acabam se envolvendo e 
tornando-se namorados. Assim compra uma briga com a melhor amiga do garoto, Karen, que nutre sentimentos amorosos egoísticos por ele e não aceita perder o posto de garota popular. 
Como se lidar com as tramas da ciumenta rival não fosse o bastante, Sarah e seus novos amigos começam a ver-se envoltos num clima constante de medo que domina a cidade. Um assassino em série está matando jovens brutalmente e nenhuma pista sobre o responsável é descoberta. É então que, para o horror de Sarah, estranhos acontecimentos e visões macabras passam a persegui-la e ela se vê ligada diretamente a coisas assustadoras que fogem do seu controle. Ninguém a leva a sério, 
e por isso decide iniciar uma investigação por conta própria. O que ela conclui é que pode ser a próxima vítima do assassino e se não agir rápido, tudo o que conseguiu conquistar e todos ao seu 
redor também podem estar em perigo. Temendo o pior, ela corre contra o tempo enquanto lida com seus próprios problemas típicos da adolescência – ciúmes, provas escolares, traição, drogas, gravidez e dificuldades amorosas – e descobre que um pentagrama pode ser a chave para revelar quem é o assassino. 
Em meio a forças sobrenaturais com as quais ela não tem a mínima chance, dá-se início a sua luta pela sobrevivência. Mas perceber que alguém mais próximo do que imagina pode ser aquele que quer matá-la é algo para o qual não está preparada. 
fonte: Skoob

Resenha:

 Gostei do livro apesar de ser voltado para o público adolescente,pode ser lido por qualquer tipo de leitor que goste de  e romance suspense.
O livro flui bem na maior parte do livro apenas pecando no excesso de cenas sobre o relacionamento dos personagens levando o leitor por vezes a pular algumas páginas pois alguns relacionamentos não tem relação nenhuma com a história central da trama como o pessoal do edifício de Sara achei meio fora de contexto com o restante da trama.
O ponto que mais me agradou no livro foi a amizade entre Sara e seus colegas e também o livro abordar mesmo que de forma superficial temas como bullying nas escolas,drogas e gravidez na 
a adolescência
O final é eletrizante e surpreendente.   

CURIOSIDADES SOBRE PENTAGRAMAS


Os símbolos são sinais que as culturas adotam para diversas representações, entre elas várias crenças religiosas bastante abordadas entre os neopagãos, como também entre vários cristãos. Fazem parte de tudo que é representativo e abordado religiosamente. Ao longo da matéria, haverá a explicação de signos e costumes usados e praticados por vários povos dentre várias culturas. Neste artigo, falarei sobre o Pentagrama e suas várias representações conforme o tempo, as circunstâncias e as crenças. Você vai ver as evoluções que o pentagrama começou a tomar, passando de um símbolo cristão de máxima veneração para a atual representação cristã demonizadora e neopagã de equilíbrio.
Pentagrama – Representações culturais 
Não se sabe a origem do pentagrama, mas pode-se conhecer uma de suas mais antigas representações.
Os hebreus consideravam o pentagrama como o símbolo da Verdade, representando o Pentateuco (os cinco livros atribuídos a Moisés no Antigo Testamento). Na Grécia Antiga, tal símbolo ganhou o nome de Pentalpha, tendo como vista cinco letras A entrelaçadas.
O pentagrama também aparece na cultura chinesa, em que os cinco elementos (fogo, terra, metal, água e madeira) se envolvem em um sistema de criação e inibição entre si, formando um 
circulo e uma estrela em sua sistematização.
Pitágoras acabou por explorar o pentagrama em seus cálculos,levando-o como símbolo de perfeição matemática. Sua escola tinha tal símbolo e seus seguidores o usavam para se identificarem.
Os primeiros cristãos usavam o pentagrama como representação das cinco chagas de Cristo (mãos e pés encravados e a coroa de espinhos), e nos tempos medievais ainda era usado como amuleto contra os demônios.
Os próprios Templários, vistos como monges da Igreja, utilizavam o Pentagrama em muitos vitrais de seus templos. Mas conforme foram ganhando dinheiro, prestígio e solidariedade com seus irmãos de Ordem, a Igreja começava a se voltar contra seus próprios servidores. Houve então a Inquisição, junto à Era das Trevas, quando a Igreja mergulhou em seu próprio diabolismo. Os Templários foram torturados e mortos, e o pentagrama agora foi distorcido e transformado em símbolo de perversão e maldade pela Igreja, simbolizando a cabeça de um bode, ou diabo, a mesma do Baphomet, pelo qual a Igreja havia acusado a Ordem dos Cavaleiros Templários de adorar. Assim, o pentagrama se transformou em símbolo representativo do mal, e a perseguição da Igreja às antigas religiões acabou forçando-as a se esconderem nas sombras, na clandestinidade. Já no final da Era das Trevas, a paz estava renascendo. As sociedades já secretas agora saem das sombras, retomando seus estudos sem medo da pressão adquirida da Igreja. Numa era de desenvolvimento, em que surgem o hermetismo, e a ciência que mistura misticismo, o Pentagrama agora gera uma nova representação: O Microcosmo. O símbolo do homem em um círculo, com braços e pernas abertos, representando O Homem 
individual.
fonte:http://www.umarizalnews.com.br/2012/08/curiosidades-o-simbologia-do-pentagrama.html


2 comentários:

Magis Book disse...

Olá, tudo bem?
Comecei a ler este livro e parei justamente por conta desse excesso de relacionamentos que vc comentou, isso me desagradou bastante. Talvez eu dê uma 2ª chance pra ele mais pra frente. Beijos e parabéns pelo blog :)
http://www.magisbook.blogspot.com.br/

kika kriger disse...

Aconselho a vc Magis book a dar mais uma chance ao livro pois na reta final fica bem interessante.
Obrigada pela visita,volte sempre bjos

Postar um comentário

Obrigada pela visita, volte sempre

Pesquise aqui!